Speakeasy – cervejas, Lei Seca e anos 20

A Speakeasy é uma cervejaria americana nascida em 1997, Butchertown District, São Francisco. Sua temática é baseada nos anos 20, época de plena Lei Seca nos Estados Unidos. O nome ‘Speakeasy’ é uma expressão para chamar os pubs e demais bares clandestinos onde o pessoal da época ia beber e precisava falar baixo para não chamar a atenção de outras pessoas, especialmente das autoridades.

Em tradução literal ‘speak’ é falar e ‘easy’ é fácil ou manso nesse caso, algo mais ou menos como ‘fale manso’ ou ‘baixo”. Pois bem, o fato é que ninguém aguentou ficar sem o álcool, muito menos da cerveja e os Speakeasy proliferaram e supriram a demanda de bebidas e alegria da galera. Bom, não sem muitos serem descobertos e fechados e de várias brigas, confusões e tiroteios causados pelas bebedeiras.

speakeasy anos 20 trip beer

Pessoas da época em um Speakeasy brindando e tomando todas

Naquela época também reinavam os gangsters, mafiosos e o ícone de todos eles, Al Capone. Aliás a máfia teve papel fundamental na expansão dos Speakeasys. Como era uma atividade ilegal com demanda alta e oferta baixa, a abertura de bares, o comércio e a fabricação de bebidas alcoólicas era uma atividade extremamente lucrativa e foi muito explorada por mafiosos.

Al Capone lei seca anos 20

O famoso mafioso Al Capone

Gangster metralhadora thompson trip beer

Um gangster da época com as famosas metralhadores Thompson. Arma consagrada por ter sido justamente muito utilizada pela máfia

Em 2013, a importadora Bier & Wein trouxe quatro rótulos deles para o Brasil, Double Daddy (Imperial IPA)Payback (Porter)Big Daddy (IPA) e a Prohibition (Amber Ale).  Neste post serão avaliados três deles. A importadora também trouxe as Ballast Point, Coronado e Bear Republic que você pode conferir as degustações aqui e aqui.

Vamos às cervejas:

 

Prohibition

Estilo: Amber Ale com 6,1% ABV

Copo ideal: Pint, Caldereta

Speakeasy Prohibition Ale degustação Trip Beer

O abridor é uma réplica de munição calibre .50

A Prohibition (proibição em inglês) é uma cerveja disponíveis o ano inteiro e talvez uma das mais alusivas ao nome da cervejaria e ao período no qual a Speakeasy se inspira. Ela é uma Amber Ale de espuma bege escura de média formação e baixa persistência. No aroma lúpulo, malte bem destacado, notas caramelizadas e de rapadura. No sabor ainda bastante malte, álcool imperceptível, refrescante, o doce das notas de caramelo e rapadura ficam mais contidos. Quando ela esquente no copo o álcool fica um pouco mais evidente, porém ainda bem tímido. O final é amargo com uma agradável picância de baixa/média duração. A cor é âmbar meio avermelhada e o corpo médio. Achei ela bem típica. Boa, mas apenas isso.

 

Big Daddy

Estilo: IPA com 6,5% ABV

Copo ideal: Pint, IPA Glass

Speakeasy Big Daddy IPA degustação trip beer

Os gangsters na logo, belo desenho

Esta IPA é outra cerveja disponível o ano inteiro. Possui espuma branca de boa formação e média persistência. No aroma uma carga razoável de lúpulo, um cítrico bem suave e malte. No sabor é que pra mim surgiu o problema. Meio ralo, sem muita personalidade e olha que estava esperando algo interessante dela. É uma IPA de baixa potência, com álcool discreto, pouco amargor e baixa complexidade. O final é um pouco seco, levemente amargo e de baixa duração. A carbonatação é média, cor dourada clara e o corpo baixo/médio. Valeu a prova, mas não agradou.

 

Double Daddy

Estilo: ImperialIPA com 8,5% ABV

Copo ideal: Pint, IPA Glass

Speakeasy Double Daddy Imperial IPA degustação Trip Beer

Esta cerveja é uma IIPA, de série limitada, que comparada a outras do estilo, se enquadraria bem no lugar da Big Daddy, pela baixa potência. Enfrentou o mesmo problema da anterior, é destoante para uma Imperial IPA. Sua espuma é bege de boa formação e baixa persistência, deixando apenas uma fina linha no copo. No aroma lúpulo, não tanto quanto seria o ideal e por isso acho que ela fica mais pra uma IPA, apenas. Além de algumas notas frutadas, caramelizadas e cítricas. No sabor lúpulo, amargor mediano, cítrica, um pouco doce, levemente maltada, álcool muito discreto e uma leve picância. Não é nada da potência de uma Imperial IPA que tende a ser bem mais marcante. O final é seco, amargor de média duração, média complexidade e corpo. A carbonatação é média e a cor cobre turva.

 

Vale destacar a beleza dos rótulos e os icônicos olhos que espreitam no escuro. Bem simples, vintages e dignos de admiração pelo trabalho bem realizado de arte.

Confira aqui outros rótulos:

speakeasy rótulos trip beer

Scarllet, uma Red Rye Ale, Metropolis (rótulo baseado no filme homônimo da mesma década), uma Lager, Vendetta, uma IPA e a melhor expoente de todas do estilo anos 20 e uma homenagem ao filme, Old Godfather, uma American Barley Wine. Todos belos rótulos, pena que não vieram ainda para o Brasil

 

Saúde

By | 2014-08-27T15:07:26+00:00 August 27th, 2014|Degustações|2 Comments
  • Eraques Cavalheiro

    Maneiro o post, tudo combinando, desde as brejas ao abridor que é top!! massa cara! Parabéns!!

  • Victor Maia Mignone

    Invejo bastante esse seu abridor! Ficou top o artigo.