Mondial de la Bière Rio de Janeiro – como foi

O Mondial de la Bière Rio de Janeiro 2014 acabou neste último domingo (23), após quatro dias de evento com uma variedade imensa de cervejas e expositores. Mas, quantidade foi sinônimo de qualidade? Saiba aqui como foi a segunda edição.

Visitei o evento na sexta-feira (21) e já estava me preparando para repetições dos mesmos problemas de 2013, ao ver uma série de críticas no Facebook. Porém, para minha surpresa foi bem ao contrário do que estavam falando. Em partes porque as reclamações da quinta-feira (20), surtiram efeito e em partes porque percebe-se que muita gente simplesmente reclama sem necessidade.

mondial de la bière 2014 rio de janeiro público trip beer

Sexta-feira lotada no Mondial de la Bière 2014

Fila de banheiro? Sempre irá existir em um festival, a menos que qualquer organizadora ponha um banheiro para cada visitante. Não rola né!? Afinal acontece a mesma coisa em um show, em festas e até no bar e ninguém fica de mimimi nesses lugares. E ainda sim os banheiros estavam funcionando a contento. Então, menos um pouco!

Pontos de hidratação, corredores amplos em grande parte do local para facilitar a circulação e climatização adequada, ajudaram a livrar muito do calor de 36º que faziam no Rio na sexta-feira.

As filas pra comprar os tickets ou o dinheiro de banco imobiliário como começaram a chamar lá também estavam bem eficientes e muitas vezes sequer haviam pessoas a sua frente. Ponto positivo para o aumento do número de pontos de venda e dispersão pelo evento.

expositores mondial de la bière rio de janeiro 2014

Parte da lista de expositores da edição deste ano

O número de expositores também cresceu, mostrando muita coisa boa que a cena cervejeira nacional está produzindo. Destaque para a Weird Barrel, o portfólio da Júpiter que está crescendo, as cervejarias novatas se apresentando, o estande super concorrido da Bodebrown e a incrível simpatia e receptividade do Paulo e Samuel Cavalcanti, bem como dos seus colaboradores.

joão becker rafael moschetta weird barrel brewing trouble trip beer

João Becker e Rafael Moschetta da Weird Barrel

A Weird Barrel apresentou suas duas cervejas on tap. A Pirate’s Flip, que é uma Session IPA, muito refrescante, com lúpulo no ponto. A outra era a Naughty Grog, uma ótima Black IPA. Uma grata surpresa conhecer essas cervejas!

session ipa flip weird barrel trip beer

A Session IPA, Flip da Weird Barrel

Conversando com o Rafael, descobrimos que algumas novidades estão por vir. Mais cervejas, envasamento, brewpub e colaborativas.

“Em março de 2015 devemos começar a engarrafar. Vamos abrir o nosso brewpub em fevereiro com quatro cervejas e ao longo do ano pretendemos chegar a 10. As campeãs de vendas vão sendo envasadas. O objetivo é disponibilizar sempre ao consumidor a cerveja mais fresca possível”.

“Queremos  também fazer cervejas bem diferentes do que já fizemos, como uma fruit beer, por exemplo. Temos também perspectivas de fazer algumas colaborativas. Já temos conversas nesse sentido com a Bodebrown”.

E não pude deixar de perguntar da relação do nome com a possibilidade de crescimento do mercado. “O nome facilita obviamente uma exportação, mas o que a gente quis deixar claro é a nossa inspiração na escola americana. Daí pra frente quem sabe o que pode vir”, completou Moschetta. Bom, o que se pode esperar é coisa boa com certeza!

Já a Colorado levou como novidade para o Mondial de la Bière a Vixnu Victória produzida com lúpulo Victória, argentino.

Fernanda Ueno, mestre-cervejeira, falou um pouco mais pra gente dessa cerveja. “É a mesma receita que já produzimos, porém com o lúpulo argentino. Eu ia usar apenas na fervura, mas ele é tão aromático e usamos no dry-hopping também. Ano que vem vamos produzir na fábrica da Antares a mesma cerveja e devemos chegar aos 4 mil litros”.

fernanda ueno cervejaria colorado trip beer

Fernanda Ueno da Colorado

Uma parte da tarde dediquei a visitar os estandes das cervejarias de Ribeirão Preto. Além da Weird Barrel e Colorado, não poderia deixar de ir no da Invicta.

Uma cerveja que eu queria conhecer era a Damiana. De fato uma cerveja muito agradável e bem interessante. Não a toa tomei três doses dela. Também aproveitei para conhecer a repaginada Russian Imperial Stout, a 108.

invicta damiana bavarian ipa trip beer

Damiana

Como nem só de cerveja da pra viver, Hell’s Burger acompanhado da 1000 IBU!

invicta 1000 IBU com hell's burger trip beer

Hell’s Burger com molho bbq especial e 1000 IBU, putz!!!

Da Bodebrown pude finalmente prova a ATOMGA! Que cerveja sensacional! Tem um aroma bem cafeínado e achocolatado, álcool equilibrado, mas potente, carbonatação média, uma espuma cremosa bem bonita e um corpo licoroso pra deixar qualquer fã de Imperial Stouts e Russian Imperial Stouts aguando!

samuel cavalcanti thiago alves trip beer bodebrown

Samuel Cavalcanti, o americano que esqueci o nome e eu. Esses dois ai são os pais da ATOMGA

Claro que a KombIPA estava por lá fazendo a alegria de todos!

bodebrown kombipa mondial de la bière rio de janeiro trip beer

KombIPA!

A Bodebrown também apresentou a sua nova garrafa.

nova garrafa bodebrown trip beer

A Seasons que dividia estande com as também sulistas Tupiniquim e Bierland tinha como destaque a Green Cow IPA. Uma belíssima IPA nacional muito refrescante, lupulada e amarga. Com aroma e sabor bem herbal e creme de boa formação.

seasons green cow ipa trip beer

Green Cow IPA on tap!

 

Um movimento bacana de se ver foram novatas já expondo as suas novidades. Estiveram presentes o pessoal da 3 Cariocas, da Three Monkeys, dentre outras.

three  monkeys mondial de la bière rio de janeiro 2014 trip beer

Estande da Three Monkeys

No Petit Pub, algumas excelentes cervejas estavam presentes. Pena que a organização proibiu a compra de garrafas para levar pra casa. Isso deve ser revisto.

stone petit pub mondial de la bière 2014 rio de janeiro trip beer

Stones

Ommegang e Dogfish Head mondial de la bière rio de janeiro 2014 petit pub trip beer

Ommegand e Dogfish Head também estiveram presentes

Jeppe Jarnit-Bjergsø esteve presente entre os palestrantes do evento. Aqui ocorreu infelizmente a repetição de um ponto negativo. Palestra no meio da feira não dá certo. O barulho torna impossível ouvir direito, entender e até a participar da palestra. Um espaço reservado seria o mais adequado.

Jeppe Jarnit-Bjergsø Evil Twin palestra mondial de la bière 2014 rio de janeiro trip beer

Jeppe Jarnit-Bjergsø da Evil Twin num bate papo

Pra fechar, a lista de vencedoras do MBeer Contest Brazil!

 

Medalha de ouro

Baden Baden Weiss
Eisenbahn: Lust
Wäls Dubbel
Cervejaria Mistura Clássica Vertigem
Dama Bier 2014
Tupiniquim Grande Encontro
Baden Baden: Chocolate
Cervejaria Mistura Clássica Beatus
Penedon Casa de Pedra
Bastards Brewery Piná a Vivá
Bodebrown Hoptoberfest Equinox
Invicta Imperial Stout
Tupiniquim Saison de Caju
Weird Barrel Naught Grog

Medalha de Platina

3cariocas Session Ipa Nema
Bodebrown Montfort Rye Ipa

Menção Especial

Le Trou Du Diable: La Dulcis Succubus – Brassin Spécial – Canadá

Público

1º lugar: Niña da Cervejaria Jeffrey
2º lugar: Bela Rosa da Cervejaria Bohemia
3º lugar:Wee Heavy da Cervejaria Bodebrown

 

mbeer contest brazil mondial de la bière 2014 rio de janeiro ganhadores

Ganhadores do MBeer Contest Brazil (Foto: reprodução)

 

Pra 2015 a organização já cogita trocar o local (atualmente é realizado no Terreirão do Samba, no Centro do Rio), para ampliar o festival.

No geral muitas  coisas melhoraram e tornaram a visitação muito mais agradável e proveitosa do que em 2013.

Parabéns a organização e que venha o próximo ano!

 

Saúde!

By | 2014-11-24T18:42:20+00:00 November 24th, 2014|Uncategorized|3 Comments
  • Eraques Cavalheiro

    Belo post, já que não pude ir nesse, estou ansioso pelo ano que vem!

  • Renata rosa

    Nesse festival, a gente pra degustar tem que comprar ou eles dão um pouco para degustação e só compramos se quisermos o copo cheio?

  • TripBeer

    Olá Renata, tudo bom? Então, no Mondial de la Biere cada cerveja que você quiser degustar é necessário comprar. Tudo funciona pela mecânica de adquirir fichas nos caixas e trocar no estande pela cerveja ou outro item desejado, como copos, abridores, roupas e tal. Um ou outro estande só que disponibilizam alguma cerveja de forma gratuita, mas mesmo assim é restrito a encher o copo uma única vez. Claro, há um custo, mas é um festival que vale muito a pena ir pela variedade e qualidade dos expositores. Também é possível comprar garrafas para levar pra casa ou mesmo abrir por lá. Espero te ajudado. Abraços