Colaborativas da Tupiniquim – degustadas!

Recentemente a Arara Azul, também conhecida por Tupiniquim, lançou uma série de três cervejas colaborativas com personalidades do meio cervejeiro do Brasil e dos EUA. O resultado de cada uma você confere aqui!

Começamos com a Tupiniquim Saaz, uma Bohemian Pislner, feita em parceria com Leonardo Botto. A cerveja possui 5% ABV e como o próprio nome diz, usa o lúpulo Saaz.

Apresenta uma espuma bege, cremosa de boa formação e persistência, cor amarelo acobreada, bem clara. Logo no aroma percebe-se o herbal do lúpulo, bastante frescor, notas caramelizadas do malte deixando um doce bem marcante. O sabor vai no embalo e apresenta o lúpulo suave em ótimo equilíbrio, refrescante, carbonatação média, álcool imperceptível, o malte mais assertivo e com final um pouco seco e aftertaste adocidado.

tupiniquim saaz com leonardo botto

 

A Saaz é perfeita para um dia de calor, principalmente para refrescar na beira da praia ou da piscina (no caso aqui foi para matar uma noite de calor em casa mesmo), sua ótima drinkability abriu muito bem a degustação dessas Tupiniquins!

tupiniquim saaz

Essa Saaz, huuum

 

Em seguida temos a Tupiniquim Completely Wicked 3C Saison! Essa cerveja possui 4,5% ABV, leva polpa de cacau e cupuaçu, além de nibs de cacau e foi feita em parceria com Pete Slosberg durante sua última visita ao Brasil. Aliás, para quem ainda não percebeu a malandragem do nome, o 3C é justamente de cacau, cupuaçu e mais cacau.

De cara a cerveja já impressiona pela boa formação de espuma branca, mas que engana. Tão rápido quanto se forma, ela desaparece quase que praticamente. Muito fugaz. A cor é de um amarelo bem palha, completamente turva. Sabe suco de caju? É isso!

tupiniquim completely wicked 3c saison com pete slosberg

 

O aroma tem uma boa acidez, bem frutado e com boa percepção tanto do cacau, quanto do cupuaçu. Dá para reconhecer ambos tranquilamente. Notas doces, frescor, pão, malte e mais frutas já anunciam que essa Saison foi feita para quem sabe apreciar um bom mix de ingredientes. No sabor o frutado é predominante e possui uma pegada mais intensa do cacau, provavelmente reforçado pelos nibs. Mais malte, pão, acidez suave (achei que poderia ser um pouco mais intenso para equilibrar melhor com o frutado), refrescância nas alturas, carbonatação média pra baixa e álcool imperceptível, corpo médio. É uma cerveja, mas é um suco pro café da manhã! O final frutado e um pouco seco contrasta de forma gostosa com o aftertaste maltado. Sem dúvidas uma Saison diferente.

tupiniquim completely wicked 3c saison

Sabendo do cacau e do cupuaçu e com essa cor, você só pode ter certeza de uma coisa: fruta, muita fruta!

 

Para fechar uma bomba! Sim, é a Citrus Bomb IPA, uma Double IPA com 7,8% ABV, feita em parceria com Nathan Smith, um especialista em lúpulos. E já adianto, se cítrico é o seu forte em termos de gosto, essa aqui com certeza irá agradar.

tupiniquim citrus bomb ipa com nathan smith

 

A espuma branca de boa formação e média persistência, com muitas bolhas e a cor amarelo dourada com tons acobreados já chama a atenção. No aroma muito frutado de maracujá, raspas de limão, cítrico potente e floral do lúpulo. Um perfume que chama de imediato para o gole. No sabor o cítrico fica ainda mais evidente, frutado segue intenso destacando mais a percepção de maracujá. Carbonatação média, álcool aparente, mas contido, pinho, levemente resinosa e um pouco de malte fecham a explosão de sabores. O final é cítrico e um pouco seco, já o aftertaste remete ao pinho.

tupiniquim citrus bomb ipa

Tá calor por aí? Essa bomba promete matá-lo!

 

Em breve vamos aos reviews de algumas outras Tupiniquins que foram lançadas nos últimos meses.

cervejas tupiniquim

 

Saúde!

By | 2015-10-22T19:29:13+00:00 October 22nd, 2015|Degustações|0 Comments